quarta-feira, 5 de novembro de 2014

Ondas II

O rebentar das ondas na areia,
mostra a suavidade do teu rosto,
com o teu tocar no meu corpo,
transparente do ondular da onda.

A beleza da água insegura,
deixa a marca do teu ser,
mostrando às dunas,
todo um novo amanhecer.

Pedaços de vida,
interlaçados no mar,
que deixa o ser,
no seu resplandecer.
 
Estrela Polar

Numa noite fria de Inverno,
dei com uma estrela a brilhar,
no meio de um céu estrelado,
vi os teus olhos a cintilar.

Os teus longos cabelos,
formavam uma constelação,
que me indicava o teu lar,
como a estrela polar.

A tua orientação foi meu destino,
para contigo me prender,
ao calor do teu ser.
Luar que ousou brilhar

Numa noite de breu,
o luar ousou brilhar,
dando asas a quem desejava voar.

As flores que ousaram levantar,
tornaram-se símbolos de uma geração,
marcando as notas de uma nova formação.

O vermelho não se viu derramar,
erguendo-se como cor revolucionária,
e abrindo as portas ao luar.
Ondas

Ondas que vão e vêm,
que beijam a areia pura e leve,
que trazem a ilusão de tocar no horizonte,
que nos fazem acreditar e levitar.

Ondas que batem na minha porta,
e que chamam a minha alma,
que a vós pertence,
quando ao luar me fizeram sonhar.

quinta-feira, 11 de setembro de 2014

Construção

Quero crescer ao teu lado,
e descobrir os confins do mundo,
na barca que construímos,
e que navega nas tormentas.

Quero conquistar as estrelas contigo,
e voar por entre as nuvens,
flutuando na ilusão,
de um sonho esquecido.

Quero construir a lua,
que nasce no horizonte,
e se esquece do dia.

Quero levar-te ao infinito,
num desejo secreto,
que bate no meu peito.
Jaula

O meu coração quer voar,
mas das amarras não se consegue soltar,
estando preso numa jaula,
que não o deixa sonhar.

Procuro a chave perdida,
que lhe abra a masmorra,
e o leve a flutuar,
no meio das estrelas.

O desejo é imenso,
fruto de um amor intenso,
que não o faz parar.

Procura a nuvem escondida,
que o adormeça na noite,
e o deixe imaginar.
Quero...

Quero sentir o teu calor,
nas noites frias de Inverno,
aquecendo o meu corpo,
das tempestades da vida.

Quero sentir o teu sonho,
e voar por entre as estrelas,
na descoberta de um novo mundo,
que as caravelas anunciavam.

Quero sentir o teu beijo,
nos dias de calor,
a refrescar os meus lábios.

Quero sentir o meu coração arder,
num fogo amigo,
de um porto de abrigo.